Teoria Musical - Página 5

Este trecho é meio complicado. Ligue todos os neurônios antes de prosseguir

8 – Compassos – Primeira Parte

O que define um ritmo são as batidas, lembra-se? Só para lembrar, o Rock costuma ter um batida forte seguida de três fracas; a valsa, por outro lado, tem uma batida forte seguida de duas fracas; as marchas costumam ter uma batida forte e uma fraca.

Essas batidas repetem-se continuamente durante a música. Para que saibamos qual é a batida forte e a fraca, nem sempre basta ouvir. Por exemplo, no começo de Sun King, do Abbey Road, não há nenhum instrumento marcando o ritmo. Não há marcação, mas o ritmo está implícito. Repare: quando eles cantam "Here", é possível marcar quatro batidas. "Comes", três batidas e "the" uma. "Sun" e "King", mais quatro batidas. Por que conseguimos sentir o ritmo mesmo sem a marcação? Porque a música está dividida em compassos.

Um compasso é a reunião do número mínimo de batidas para definir um ritmo. Por exemplo, em uma valsa, o conjunto de uma batida forte seguida de duas batidas fracas são um compasso. Na marcha, cada batida forte seguida de uma fraca é um compasso.

Os tempos de um compasso não precisam ser marcados por algum instrumento. Outra coisa, essencial, O NÜMERO DE TEMPOS DE UM COMPASSO NÃO PRECISA SER O MESMO NÜMERO DE NOTAS! Quer um exemplo? Em "Sun King", a palavra "King" é cantada sobre uma só nota, que ocupa todo o compasso. Ou seja, enquanto tocamos essa nota, contamos as quatro batidas normais. Temos uma nota ocupando o compasso todo. No final da música, quando eles cantam "Mondo papparazzi mi amore de felice..." eles estão cantando oito notas, mas o compasso continua a ter quatro tempos, ou seja quatro batidas. No primeiro caso, as quatro batidas foram agrupadas em uma só nota. No segundo, as quatro batidas foram divididas em oito notas, isto é, a cada batida cantavam-se duas notas.

Por que dividir os compassos?

Para o músico saber qual acentuação dar à música. Quando falamos em acentuação, não estamos nos referindo à isto `~ ^, mas à batida forte de um compasso. As palavras não têm sílabas fortes e fracas – tônicas e átonas, como você aprendeu na 5ª série? A música também, um compasso tem batidas fortes e fracas, como falamos anteriormente. É justamente para saber qual deve ser a acentuação, isto é, quais as batidas fortes e fracas que a música é dividida em compassos.

Os compassos são classificados de acordo com o número de batidas (tempos):

Binários: tem duas batidas – uma forte e uma fraca

Terciário: três - uma forte e duas fracas

Quaternário: quatro - uma forte, uma fraca, uma menos forte e outra fraca

Como você viu, a primeira batida de um compasso sempre é forte. Indicamos no começo de uma partitura qual é o compasso que estaremos seguindo, especificando sempre quantos tempos, isto é, batidas, teremos por compasso. Mais uma vez: dizer que eu tenho três batidas em um compasso não quer dizer que eu tenho três notas.

9 – Compassos II – O Retorno

Ouve-se frequentemente dizer: "ah, tal música está em 3 por 4". Que quer dizer isso? Uma parte nós sabemos decifrar: dizer que uma música está em três (ou dois, ou quatro, ou cinco, ou dez) por alguma coisa significa que o compasso terá três (ou dois, ou quatro, ou cinco, ou dez) batidas. Mas que raios quer dizer o quatro?

Muito bem... da mesma maneira que convencionou-se chamar as notas de Semibreve, mínima, etc., decidiu-se atribuir-lhes valores numéricos. Dessa maneira, convencionou-se que:

semibreve.gif (196 bytes) = 1

minima.gif (217 bytes) = 2

seminima.gif (202 bytes) = 4

semicolcheia.gif (258 bytes) = 8

fusa.gif (278 bytes) = 16

Temos aqui que, quando alguém fala em "3 por 4", sabemos que, nessa música, cada compasso terá 3 tempos. E, agora, sabemos que cada tempo será representado por uma semínima, ou seja, a nota que corresponde ao número 4. Isso mesmo, o número 3 é o número de batidas, o número 4 indica qual nota representa UMA batida. Logo, no compasso 3 por 4 (geralmente representado 3/4) teremos, no máximo, três semínimas por compasso.

Todavia, se fosse só isso, ficaria cansativo, por todos os compassos teriam que ter três semínimas. Mas, como vimos, isso não é necessário. Um compasso 3/4 não precisa TER três mínimas, mas o EQUIVALENTE à isso. Ora, desse modo, podemos ter uma mínima e uma semínima. Por quê? Porque duas semínimas valem uma mínima. Logo, se temos uma mínima e uma semínima temos 2+1 que resultam nos três tempos. (lembre-se, 2+1=3)

Neste momento você deve estar se perguntando: "hum, mas como eu vou saber se um compasso é 4 por 4, 4 por 8, 4 por 2, se eu só consigo contar – ouvindo – o número de batidas, sem saber qual a unidade que a representa?" A resposta é simples: dane-se. Pouco importa, ao ouvir, se uma música é 4/4, 4/8, 4/16 ou o demônio. O importante, por enquanto, é conseguir contar as 4 batidas do compasso. Mesmo porque não há diferença perceptível e, salvo chatos de plantão, a maior parte das músicas atualmente adota o formato alguma-coisa/4

Voltando ao exemplo de "Sun King": temos um compasso 4/4. Ou seja, em cada compasso teremos 4 batidas. Cada batida será representada por uma semínima. Nessa música temos um exemplo perfeito da soma e divisão dos tempos. No primeiro compasso, temos uma semibreve (que, como se lembram, vale 4 semínimas). Ocupa o compasso inteiro, pois é a reunião de quatro notas.

Mas, e se nossa intenção fosse preencher um compasso * com uma só nota? À priori (hahaha) veremos que é impossível, pois só conhecemos valores binários. Como fazê-lo?

10 – Valores quebrados

Vimos que uma semibreve vale duas mínimas, que valem duas semínimas, etc... Mas são todos valores derivados do número dois.

Isso é fácil de resolver: para representarmos esses valores, basta colocar um ponto na frente da nota. Esse ponto, chamado Ponto de Aumento, aumenta a nota em metade do seu valor. Calma, eu explico.

Uma mínima não vale duas semínimas? Ok, então uma mínima pontuada vale uma mínima mais metade do seu valor, isto é, mais uma semínima.

minima.gif (217 bytes) . = minima.gif (217 bytes) + seminima.gif (202 bytes) ----- 3 tempos = 2 tempos + 1 tempo

Dessa forma, podemos preencher um compasso * com uma mínima pontuada, pois ela representa 3 tempos. Isso se aplica a todas as notas. Todas mesmo. Repare que interessante, uma regra sem exceções...

11 – Aplicações

Chega de teoria. Vamos à prática: ouça as seguintes músicas e tente descobrir o compasso de cada uma delas. Uma dica: o número de batidas, que vai determinar o compasso, não é o mesmo número de notas que você ouve. Outra dica: todas as músicas aqui usam compassos 3/4 ou 4/4:

Help!

Golden Slumbers

She’s leaving home

I should have known better

Lucy in the sky with diamonds

Dig a Pony

Acabou? Ótimo, agora escolha algumas músicas aleatóriamente e escute, tentando adivinhar o compasso.


O que é música - de que é feita a música - qualidades dos sons

Melodia, harmonia, ritmo, andamento, velocidade

Escrita musical - valores

Compassos - partes I e II

Escrevendo

Escalas, tonalidades,conclusão

Voltar à página principal